Dr. Edmir Américo Lourenço

CRM: 26.252

Professor Titular da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí – SP

RINOLOGIA E SINUSOLOGIA



GRIPE, RESFRIADO, OTITE, RINITE, SINUSITE, AMIGDALITE, PNEUMONIA, ASMA.


Chegou o outono e com essa estação, o frio. Com ele, aumenta muito a incidência das doenças respiratórias em geral. O vírus da gripe ou influenza, por exemplo, nos pega desprevenidos e chega a acometer 50% das crianças até 12 anos de idade anualmente. As pneumonias também são freqüentes em adultos mas principalmente em crianças e levam à morte 3 milhões de crianças em todo o mundo. Locais fechados favorecem a transmissão dos vírus e bactérias, além do que as vias respiratórias ficam mais sensíveis e expostas em virtude das baixas temperaturas e do clima seco. É grande o impacto negativo do frio nos alérgicos e o mais provável é que o frio irrite a mucosa das vias respiratórias e que os fungos do ar, infecções e viroses aumentem com a umidade. Este guia enumera as principais doenças do inverno.


GRIPE, RESFRIADO, OTITE, RINITE, SINUSITE, AMIGDALITE, PNEUMONIA, ASMA.1 – Gripe e resfriado – dado pelos vírus influenza e rinovírus. No resfriado há entupimento nasal, tosse seca e às vezes febre. Na gripe há febre alta, dores musculares, tosse cheia e coriza. Tomar muitos líquidos não gelados ou suco de laranja com açúcar e uma pitada de sal e antitérmicos se necessário, evitar gelados e choques térmicos. Há um medicamento para evitar a proliferação do vírus da gripe e outro do resfriado. A vacina previne em 90% as gripes.


2 – Otites – externas ou de piscina/banho e médias como complicação de gripes. Ambas dóem muito. Após a piscina, pingar álcool de cereais ou outro com mais de 90° GL. Suspender a ingestão de leite, porque aumenta a secreção nas vias respiratórias. Não amamentar nem administrar líquidos à criança deitada.


GRIPE, RESFRIADO, OTITE, RINITE, SINUSITE, AMIGDALITE, PNEUMONIA, ASMA.3 – Sinusite – geralmente aparece como uma complicação da gripe, com dores na face e até nos dentes superiores, entupimento nasal, secreção nasal amarelo-esverdeada e halitose, embora na criança a tosse seca prolongada possa predominar. Evitar exposição a fumaça de cigarro, cheiros fortes e ambientes empoeirados. Limpar e desobstruir o nariz. A coqueluche está de volta e a vacinação aos 2, 4, 6 e 18 meses de vida é imprescindível, com um reforço aos 5 anos de idade.


4 - Rinite – ar seco, queda da temperatura e contato com algumas substâncias são predisponentes. Um paciente saudável suporta bem variação de 8 a 10 graus da temperatura, enquanto o alérgico não tolera 2 graus de variação. Espirros, coceira nasal e entupimento são os principais sinais. Evitar poeira, mofo e produtos de limpeza com cheiro forte. As vacinas dessensibilizantes de alergenos respiratórios estimulam a formação de anticorpos de defesa contra esses agentes.


GRIPE, RESFRIADO, OTITE, RINITE, SINUSITE, AMIGDALITE, PNEUMONIA, ASMA.5 – Amigdalite – dor de garganta, dificuldade para engolir, placas brancas na garganta, febre e gânglios inchados no pescoço. É viral em 85-90% dos casos, gargarejos com chá de folhas de sálvia e uma pitada de sal podem ajudar a reduzir a dor. Evitar contato com outras crianças.


6 – Pneumonia – infecção pulmonar por vírus ou bactéria e exige tratamento precoce. Os sintomas são febre, calafrios, tosse, dor ao respirar. Em bebês, gemidos e aumento da freqüência respiratória (acima de 50 por minuto até 1 ano de vida e 40 para crianças maiores) podem ser indicativos do diagnóstico. O tratamento é feito com antibióticos específicos e crianças menores de 2 anos devem ser internadas e oxigenadas, submetidas a fisioterapia respiratória e tapotagem. Associar boa alimentação, lavar sempre as mãos e para a prevenção podem ser utilizadas as vacinas antipneumocócica e antigripal.


7 – Asma – reação alérgica inflamatória da mucosa brônquica por contato com a poeira, poluição, exercícios físicos, quedas bruscas de temperatura. Fecha a respiração, chia o peito, com falta de ar, aperto no peito, tosse seca e respiração rápida, dura 2 a 5 dias. O tratamento inclui inalação de corticóides e broncodilatadores. Evitar poeira, tapetes, cortinas, cigarro, bichos de pelúcia, produtos químicos e ambientes muito secos.

Para nos prevenirmos da gripe, é fundamental que sejam evitadas friagens, mudanças bruscas de temperatura, gelados, ventos, chuviscos, ambientes fechados cheios de gente e deve-se tomar a vacina contra ela e outros vírus respiratórios. Seu pico de efeito demora 15 dias, por isso ela deve ser tomada logo. Vacinas de boa procedência NÃO DÃO REAÇÕES ADVERSAS.


Por: Dr. Edmir Américo Lourenço


Dr.Edmir Américo Lourenço - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por: LÉO ANDRADE.NET